Apresentação de Trabalhos no 5º PampaStock

Por: Sara Moraes e Tanise Arruda

Nesta quinta edição o PampaStock trouxe novidades, pela primeira vez o evento integrou em sua programação um simpósio, que incluiu um ciclo de palestras e a apresentação de trabalhos, os quais aconteceram na sexta-feira, 10 de julho, na Universidade Federal do Pampa (Unipampa) campus São Borja. O I Simpósio Internacional do PampaStock teve como tema principal “A Influência do Rock nos Movimentos Sociais”, e foi divido em cinco grupos de trabalhos (GTs): Relação de Gênero e Rock, Direitos Sociais e Rock, Comportamento Social e Rock, Comunicação Social e Rock e Movimento Social e Rock. Os GTs tiveram como dinâmica, primeiramente, a apresentação de trabalhos seguidos da fala dos professores avaliadores e, após foi realizada uma roda de conversa, para que todos pudessem discutir sobre o tema proposto.

foto 11

 

Confira um pouco do que ocorreu em cada grupo de trabalho:

GT Relações de Gênero e Rock:

Trouxe à tona discussões sobre: os estereótipos dentro desse estilo musical, papéis sociais atribuídos às mulheres e aos homens e o uso do corpo da mulher como forma de comercialização. Além disso, levantou à questão da necessidade de se discutir gênero no Rock e a presença de poucas figuras femininas nesse meio, apesar das mulheres representarem boa parte do público que ouve rock, 47% segundo pesquisa do IBOPE de 2013. Karol Rodrigues, aluna do curso de serviço social ressalta que é uma evolução para o Rock tratar dessa temática.

GTs Comportamento Social do Rock e Comunicação Social e Rock

Esses dois GTs ocorreram no mesmo local. Neles uma diversidade de trabalhos trataram do rock como estratégia comunicacional, sua relação com a geografia, entre outros. Levantou-se ainda questões sobre as origens do estilo e suas ramificações na modernidade.

foto2

 

GT Movimento Social e Rock

Nesse GT foi discutida a importância de entender o rock como um movimento social e um objeto de estudo. Joel Felipe Guindani, professor da Unipampa, fala da importância dessas discussões em âmbito acadêmico: “Nunca se discute música e Rock nos espaços que se diz fazer ciência e se produz conhecimento. Então o evento vem de fato remexer com os paradigmas que temos.”

foto 3

 

GT Direitos Sociais e Rock

Levantou a questão de como o rock pode ser um instrumento que denuncia as desigualdades sociais, as injustiças e as violações aos direitos humanos. Um exemplo exposto foi de como, por meio do rock, foram feitos denúncias contra a ditadura militar. Natali Spohr, professora do Instituto Federal Farroupilha e avaliadora dos trabalhos, acredita que eventos como esse são fundamentais em termos de reflexão, por conta da origem contestadora do Rock.

foto4

 

Com a inclusão da apresentação de trabalhos o PampaStock intensificou o seu caráter universitário, já que tornou possível um espaço de discussão e reflexão sobre o papel do Rock na sociedade. Mairon Melo Machado, professor do Instituto Federal Farroupilha, quando se referiu à apresentação de trabalhos disse que estava admirado com a profundidade das discussões feitas pelos trabalhos apresentados. Já, Valnir Peralta Fernandes, aluno do curso de Jornalismo, acredita que esse tipo de atividade pode trazer uma maior politização à geração mais jovem, lembrando de como a música politizou a geração que saiu às ruas pedindo “Diretas Já”.