Integrar as tribos: academia e cultura

Por: Bianca Garcia, Marcela Cartolano e Wenandra Sommer

 

Após três anos de grande sucesso e presença do público, o festival veio com duas novidades para a 4ª edição: o aumento nas três noites de apresentações e o ‘Momento Todas as Tribos’ o qual proporcionou um espaço para outros estilos musicais, como Música Popular Brasileira (MPB), Samba e Música Nativista com a intenção de integração cultural.

O primeiro dia de PampaStock ficou dedicado exclusivamente para o Momento Todas as Tribos, músicas como as de Chico Buarque, Elis Regina, Gilberto Gil, Mario Barbará, Dante Ramon Ledesma, entre outros, puderam ser prestigiadas. “Foi decidido que haveria três apresentações, no qual uma representaria a MPB, outra representaria o samba e a terceira representaria o nativismo – cada apresentação com a duração de 1h. Já em relação aos outros dois dias do festival – referentes ao rock – foi planejado a apresentação de dez bandas selecionadas pela Unipampa (cinco em cada dia), com duração de 40 minutos para cada apresentação, além da participação de quatro bandas convidadas (duas em cada dia), com duração de 1h” explica Flávio Sarmanho, um dos organizadores do evento.

Letícia Carvalho & Guilherme Sam-sin

 

 

O festival universitário que emerge o cenário cenográfico da cidade gaúcha em São Borja, uma das mais antigas cidades do Brasil e com a grande diversidade cultural atual, soube trazer qualidade à fronteira. O ex diretor do Instituto Estadual de Música, em Porto Alegre, Santiago Neto, afirma, “A UNIPAMPA e a fronteira representam uma importante mudança nas relações territoriais, na inclusão de jovens capacitados para o trabalho e no resgate da identidade cultural de uma região riquíssima culturalmente”.

Na segunda noite as bandas Saci Pipê de Jaguarão, Vendettas de Caxias do Sul, Soldas em Geral e Flander’s de São Borja, Surrebire da Argentina e Los Cabrones de Bagé subiram ao palco, já última noite se apresentaram Star Luck de Livramento, Itaheads de Itaqui, Crivos Ilegais de Bagé, Orlando e os Coyotes de São Borja, Litera de Porto Alegre, DeLorean de Uruguaiana e Deblan de Alegrete.

 

Banda Vendettas

 

Banda Saci Pipê

Banda Saci Pipê

 

Banda Surrebire

Banda Surrebire

 

Banda Flander”s

 

Com o objetivo central de ampliar o alcance cultural que trouxe outros estilos musicais de características históricas e narrativas críticas que abordaram o caráter social, o evento não contou e não conta somente com o rock n’ roll, ainda mais dentro da Universidade: “O Rock pode ser matéria prima de estudos e é, muitas vezes, a partir da representação do rock a gente consegue entender elementos sociais, elementos históricos, então é nessa articulação que o PampaStock entra na sua relevância para a própria academia.” explica Marcelo Rocha, professor de Publicidade e Propaganda na UNIPAMPA.

Além dos shows das três noites, houve discussões com variadas temáticas e a abertura ocorreu com a mesa redonda “O Rock Morreu? Perspectivas do Rock no Brasil” com os professores Marco Bonito e Cesar Beras. As palestras das duas noites “Cultura e Integração: Perspectiva no Sul da América do Sul” mediada pelo professor Muriel Pinto e “Cadê a música no RS?” com o cantor convidado Duda Calvi da banda Tequila Baby, levaram ao público presente e aos demais participantes questões pontuais sobre os aspectos musicais, sociais, políticos e culturais com as falas do Diretor da Universidad Nacional del Nordes – UNNE/Argentina, Carlos Cesar Sosa, os estudantes de música da Unipampa – campus Bagé, Gabriel Paz e Fabrício de Souza e o professor de Santana do Livramento, Ricardo Severo. Assim como na mesa redonda os convidados presentes foram Paulo Roberto Santhias, coordenador da Rádio Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Gabriel Medeiros, professor na Unipampa campus Jaguarão e Mairon Machado, professor de física no Instituto Federal Farroupilha, campus São Borja. O professor Marco Bonito ressaltou na época, a importância do evento e também da mistura das tribos, “a importância e a relevância, estão associadas à sua capacidade de romper com determinados dogmas acadêmicos na mesma medida que é capaz de reanimar seu caráter, com as tribos, a graça está em transitar por todas as tribos e não pertencer necessariamente a apenas uma”.

Palestras

Palestras

 

Palestras

Palestras

 

Com toda a diversidade cultural, social e acadêmica, o PampaStock de 2014 pode integrar ainda mais e de formas mais ampla a convivência e o conhecimento de quem estuda, trabalha ou apenas curte o cenário musical, Gabriel Paz, 24, na época acadêmico de música da UNIPAMPA, palestrou junto aos demais para o público que se fez presente, “serviu como um desenvolvimento pessoal, também fiz novas amizades, conheci o campus de São Borja, como também tive contato com outros discentes dos diversos campis da UNIPAMPA. Acho que para São Borja é um dos principais eventos ligados a cultura do Rock. O qual semeia cultura na região e que atinge todos os campis da UNIPAMPA. Sinto que há uma grande mobilização para a realização do evento, e que cada envolvido acaba desenvolvendo-se no decorrer da organização e execução do evento” ressalta.

O ano não apenas marcou o evento e a cidade como também as comunidades ribeirinhas do Bairro do Passo, que com uma das maiores cheias do Rio Uruguai que desabrigou e destruiu os lares dessas famílias. Os 1.500kg de alimentos e materiais de higiene arrecadados nas três noites de festa foram revertidos à Prefeitura Municipal e doados à comunidade, segundo Solange Berwing, responsável pelas doações, cerca de 600 famílias foram beneficiadas.