PampaStock: a origem

 A disciplina do Rock

Por: Jean Azambuja, Sara Moraes e Tanise Arruda

            O espírito do rock tem encantado gerações. O Rio Grande do Sul é um dos berços de grandes talentos que fazem sucesso no Brasil inteiro, como as bandas Cachorro Grande e Acústicos e Valvulados. No caso da fronteira oeste não é diferente, apesar desse estilo musical ser pouco difundido na região, há um público adepto e bandas que contemplam essa audiência. Aparentemente, os estilos musicais sertanejo universitário e funk são melhor difundidos na região, no entanto, na contramão desse contexto, o rock tem conquistado espaço através de eventos que partem de iniciativas isoladas e feitos para um público particular. O PampaStock, festival que surgiu a partir da disciplina de Sociologia do Rock, tem ampliado o cenário roqueiro local. Acompanhe a seguir como a ideia de um festival de rock em São Borja se concretizou.

 

11164803_874149015988503_1342195177078814753_n

 

 

A Sociologia do Rock

A cadeira de Sociologia do Rock, pioneira no Brasil, foi ofertada pela primeira vez no ano de 2010, como disciplina complementar. Idealizada e ministrada pelo professor Cesar Beras após discussões com Grupo de Pesquisa Texto (GP T3xto), na Universidade Federal do Pampa (Unipampa) – campus São Borja. Tem como objetivo refletir e construir conhecimento sobre a relação entre o rock e a sociedade, o qual é entendido como uma manifestação cultural e como uma atitude de vida perante o mundo que, por sua vez, está em constante movimento. Como ressalta o professor Gabriel Sausen Feil: “A cadeira buscava entender o Rock não mais, apenas, como uma matéria histórica a ser estudada dentro daquela dinâmica de sempre (dizendo em que ano surgiu, principais bandas), mas mais do que isso, o rock como uma possibilidade de refletir sobre a sociedade.”

Até o momento, a disciplina teve quatro turmas e promoveu a interação de alunos dos três cursos de comunicação do campus, como conta a aluna de Relações Públicas, Caroline Fernandes: “Para mim foi novidade, não pensei que um estilo musical tivesse caráter teórico. Os trabalhos eram integrados e as produções coletivas, proporcionando que eu, de relações públicas, trabalhasse com o pessoal de publicidade e propaganda e de jornal. A disciplina mostrou um lado interventor que o rock tinha/tem na sociedade, proporcionando a reflexão da turma quanto a essa matéria”.

O diferencial dessa matéria foi a sua forma de desenvolvimento, na qual o professor instigava discussões através das letras das músicas que espelhavam temáticas relevantes. Outro método utilizado era a participação de convidados em rodas de conversa, o chamado Papo Rock. A consolidação do rock como uma disciplina trouxe um cenário de reflexão do estilo para além da música, atingindo um caráter ideológico que influencia na construção do sujeito enquanto cidadão.

965301_10200586945852760_1482309525_o

 

Surge o Festival

O festival PampaStock surge em 2010 como uma proposta de avaliação dos alunos da disciplina de Sociologia do Rock, uma oportunidade para aplicar os conhecimentos adquiridos na formação acadêmica. Conforme destaca o técnico administrativo da Unipampa, Alex Retamoso: “Junto com a disciplina que trazia um novo olhar para o Rock, veio o fazer um festival pra agregar a faculdade e a comunidade de modo que gerasse conteúdo para os alunos usarem seus conhecimentos técnicos na montagem desse, o qual transita entre a academia e a empiria, é prático, não só teórico.” O evento, que mais tarde se tornou um projeto de extensão, trouxe mudanças para o cenário musical da fronteira, proporcionando o acesso à cultura do rock.

Beras, em uma entrevista dada para a Revista PampaStock, conta: “A primeira questão a resolver foi sobre qual seria o nome do festival. O fato da universidade localizar-se em duas regiões (oeste e sudoeste) e ter seus campi espalhados por esta área com traços identitários semelhantes direcionou o brainstorm do grupo. Pamparock, Fronteirarock, foram sugestões iniciais, mas não demorou para o nome PampaStock vir à tona. Surgiu então um nome e conceito para o festival: PampaStock: por uma sociologia do rock.”

O papel da Universidade está além da formação acadêmica, ao se tornar um projeto de extensão – PampaStock: Cevando o rock na Fronteira, ele ultrapassa os muros da Unipampa – São Borja, trazendo alunos dos vários campi e atraindo o público local, o que deu mais visibilidade para o campus de São Borja e possibilitou a população de se aproximar do gênero musical rock.

Retamoso completa: “O PampaStock só mostra, estando na ativa ainda, que além de ser um dos melhores projetos de extensão da Unipampa, ele é também um recurso da comunidade de São Borja, inclusive por estar inserido no calendário dos eventos do município da Câmara de Vereadores. Isso é uma conquista nossa, uma conquista do próprio PampaStock, de quem estava lá, de quem está agora e de quem estará nas próximas edições.”

266803_521439034592838_873957626_o

 

Confira o vídeo com alguns dos idealizadores do evento e pessoas que o acompanham desde o início: