Última noite de Rock no Pampa

Por: Allana Andrade, Bárbara Ramos, Jean Azambuja, Sara Moraes e Tanise Arruda

Na segunda noite de shows o PampaStock proporcionou a integração de várias bandas do Rio Grande do Sul, além do Momento IFF, em que alunos e professores do Instituto Federal Farroupilha de São Borja juntaram­-se à Unipampa para apoiar o festival. Com a apresentação do professor Cesar Beras da Unipampa, do professor Pedro André Machado do IFF e da aluna de Relações Públicas da Unipampa Thaysa Flores, o festival trouxe bandas de Santa Maria, Santiago, Alegrete e Uruguaiana, que com músicas autorais misturaram estilos tornando a noite muito contagiante.

Foto: Danielly Engelmann.

Foto: Danielly Engelmann.

 

Em clima de abertura, a banda local Ensaio Imaginário destacou-­se ao apresentar uma versão de Get Lucky da banda Daft Punk utilizando instrumentos da cultura gaúcha, rock e percussão. O momento IFF também surpreendeu com a Banda Alunos Musicais que fizeram versões de músicas do rock clássico. A banda que mais se destacou foi a Scarlett Core que levantou o público com músicas próprias e covers de Tequila Baby. As outras bandas também deixaram suas marcas no palco, mostrando que o rock não está morto, como disseram, em entrevista à cobertura do PampaStock, os integrantes da banda Black Rivers. A representação de Santa Maria foi marcante com a presença da Mão do Sopro, In Coma e Bidu Silas, que vieram à São Borja para mostrar o melhor da música independente através de composições próprias. A noite encerrou com o estilo grunge da Soldas em Geral, banda que desde 2009 compõe o cenário musical são­ borjense.

Foto: Nadine Marino.

Foto: Nadine Marino.

 

A 5ª edição teve um grande alcance de público: na edição passada, o número de pessoas presentes foi de aproximadamente 200 pessoas, nesta, em torno de 700 cevaram o rock na fronteira, contribuindo com alimentos não perecíveis e materiais de limpeza que serão destinados ao Centro de Formação Teresa Verzeri, APAE São Borja e ao asilo São Vicente de Paula.

A abertura do PampaStock aconteceu na última quinta-­feira, sua primeira atração foi o lançamento do livro Sociologia do Rock, organizado pelos professores Cesar Beras e Gabriel Feil. Na sexta­-feira, ocorreu o I Simpósio Internacional que contou com apresentações de trabalhos acadêmicos e palestras sobre música, comportamento e direitos humanos. À noite, a parte musical do festival estreou através do Momento Todas as Tribos, com a banda de samba de raiz Gente da Noite, seguida pelo rock gaúcho independente, atração principal de todos os dias do PampaStock. O estudante de Ciências Políticas, Roberto Garcia, acompanhou todas às edições do festival e disse que em 2015 o diferencial esteve em não trazer bandas famosas e fomentar a cena underground.

Para 2016, a ideia é manter o festival próximo à data do dia mundial do rock, 13 de julho, porém sempre reforçando a ideia de que o momento de refletir o cenário e ouvir música de qualidade, independente do estilo, é no PampaStock.